Visualizações

domingo, 12 de fevereiro de 2012

"A regra do ser"

A minha vida inundada num turbilhão de problemas, se no ser vem a regra "o ser feliz", então o que sou?
Se no fim de uma rotativa de complicações, a única coisa que me deixa num parecer de felicidade, és tu, e se tu, afirmas que eu não sou ser, parece que para além de não ser, nunca tive a precessão de ver...
... nunca a tive, porque para sentir que és a razão de existir, quando pelos vistos no teu parecer não se parece nada assim, a mim parece-me que tu não és e nunca foste ser numa presença minha...
... afastas essa hipótese, porque a aparência no teu ver é essência, e no meu ver, não tens a decência de me encarar.
És tristeza e depressão, és, claro que és, por me fazeres crer que és ser por mim, enquanto não és ser, e então, eu que era por ti o que dizias ser por mim, deixo de ser...