Visualizações

segunda-feira, 20 de fevereiro de 2012

" O incentivo"

Mostra o que melhor sabes fazer. Liberta os sentimentos enclausurados, quebra as correntes do correto. Tira a forma dita correta apenas com um grito de alma por quem passa, vai, mostra o que melhor sabes fazer. Segue o teu instinto e destrói o que a teu ver não faz sentido, parte, rasga, quebra, queima, atira, vai, mostra-te.
Agora já sem forças, sem conseguires falar ou andar, contempla a tua obra, são meros minutos para que o correto acabe contigo por soltares o teu verdadeiro ser, agora fragilizado, és tomado por forças e não entendes o porque, óbvio, para ti está tudo bem, o correto é ser, porque não podes tu então ser? Porque é que não podes sê-lo, quando não magoaste ninguém? Só por partires, rasgares, quebrares, queimares, atirares, aquilo, que ambos sabemos ser teu, e quando não é teu, tu sabias não estar na posse de mais ninguém, porquê? 
És levado para o inexistente, uma lágrima é a tua resposta a tudo,  pensas porque foste tu ser, porque tiveste que sê-lo quando mais ninguém o é?
Olhas para mim e então acusas-me, dizes ser eu o causador dos teus problemas. Pensa, lembra-te de quem sou, não passo da demência, da insânia , eu sou a tua loucura, e se te incentivei, foi a teu pedido, quiseste entregar-te a mim de corpo e alma, o causador dos ditos problemas és tu, quiseste ser quando sabes que não podes pois a sociedade não o permite, pois a sociedade não o compreende, nem quer.
Faz como eu, solta gargalhadas, afinal, estamos bem, já me envolveste por completo no teu existir, era o que mais querias, então solta gargalhadas e mostra, mostra que és!