Visualizações

sábado, 29 de setembro de 2012

"Consciência"

Basta apenas um sonho, para que percebas, que os pesadelos não estão assim tão longe. Olhas em volta, olhas atormentado para todos os cantos e recantos em busca de algo que não queres, que na verdade não imaginas em encontrar, mas procuras, sabes, sentes, eles estão lá, por entre o nevoeiro, no oceano mais profundo ou no céu mais longínquo. O teu coração bate desalmadamente e tu sabes, mais tarde ou mais cedo, chegará o momento. Cais no chão e encolheste enquanto lacrimejas em desespero, esmurras as mãos na cabeça, a angustia é tremenda, mas, porquê ? Porquê tu?Os teus olhos estão apagados, a tua alma destroçada e envolto num suspiro profundo, ganhas precessão do que aconteceu, não te permitiste a ti mesmo que fosses apoiado, nunca apoiaste, nunca te entregaste e jamais permitirias que alguém se entregasse a ti, eras capaz de te mutilar para calar mundos e cegar estrelas, mas hoje, hoje estás assim. O tempo passa, caíram impérios magníficos por atos estúpidos e tu, sempre cometeste e fizeste parte dos mesmos, quem te ama afastou-se, quem te odeia matou quem te ama, e quem te inveja matou os que com tanto ódio fizeram de ti o centro das atenções.
Hoje, gélido e como uma carcaça, no chão empoeirado perguntas, porquê? Uma lágrima acende-se e o corpo apaga-se, enquanto o peso da consciência se mantém por anos e anos a perguntar, porquê?