Visualizações

segunda-feira, 21 de janeiro de 2013

" O caminho dos ingénuos"

O culminar do negativismo,
empurra-nos para um caminho,
um que nos transforma em pesos mortos,
pesos presos a um destino!

O espírito fica de tal forma danificado,
que estendem-se e cobrem este nosso pequeno mundo,
as sombras vagabundas do abismo negro,
é este o armagedão, fim do nosso ser, o fim de tudo.

O corpo, somente mecanismo de transporte,
abandonado ao tempo vai envelhecendo,
resta agora, esperar o corroer da matéria,
com a ajuda dada, pela essência do vento!

Esquecida, a pequena bola deprimida,
a mostra física da nossa alma, de um tom branco ofuscante,
danificada e quase a desaparecer, resta somente,
esperar e morrer, que ideia relutante !

Como fui eu chegar, a tamanha ingenuidade,
caí no abismo, como a tinta cai na tela e sem vontade,
fui esbatido em tons garridos e aqui estou eu,
a sobressair da tela vergonhosamente, um autentico camafeu !

Grito aos céus, que merda de vida é esta que me destes ?!
Serei eu assim tão mau, que não mereço uma segunda chance?!
E tu, que desde sempre me acompanhastes,
num tom moderado, dás-me a oportunidade, de repetir, avante!

Saio do caminho dos ingénuos, corto para o dos arrependidos.
Percorro o corredor e olho par trás, só oiço gritos, gemidos!
Pobres almas deixadas à deriva, num inferno sem igual,
possam elas um dia, tal como eu, libertarem-se desse mal !

Voltei ao mundo que mais uma vez me viu nascer!
Eis a oportunidade de brilhar, de mostrar o melhor do meu parecer!
Junto dos que me amam desta vez, vou gritar aos céus além,
estou aqui para vencer, para lutar pelo meu destino, sem medos e sem desdém !