Visualizações

quarta-feira, 11 de dezembro de 2013

" Quando penso em ti... "



 Quando penso em ti, as emoções espalham-se pelo meu corpo,
  ensanguentadas com lágrimas e sorrisos à mistura,
  a minha mente encadeia-se, com a luz das vivências do tempo morto,
  o sonido ensurdecedor da tua voz faz-me cair na minha própria sepultura!

  Apelo à consciência, grito, brado e vocifero em sinal de socorro,
  porque foge ela de mim, quando mais preciso dela?
  Os meus olhos lembram a tua imagem, do meu coração emana fogo,
   porque não podias ser tu tão simplesmente, a doce e inocente donzela?

  A quem quero eu enganar, hoje, ninguém se rala com os sentimentos!
  Porque haverias tu de ser diferente, também tu és imperfeita,
  mas porquê, porque fui eu encantar-me com os teus talentos e alentos?
  Hoje olho-me ao espelho e respondo a mim mesmo, tu és o culpado da desfeita!

  O tempo corre enquanto te vejo nos meus sonhos, mas o passado já la vai!
  As memorias ficam, a nostalgia também, mas merda, a 
mágoa também!
  Quem quero eu enganar, o teu veneno de mim nunca desapareceu, de cá não sai!
  Vem, o arrependimento morreu, é a ti que eu quero agora, digo-o aqui, para ti, com alma e sem desdém!