Visualizações

quarta-feira, 14 de outubro de 2015

" Entre extremos..."

Não é fácil balançar entre extremos, a cor não é a mesma, tudo é oposto.
Se num ponto tudo tem adrenalina, tudo é estonteante, tudo voa, tudo passa depressa demais e não conseguimos chegar a tudo. Se noutro ponto tudo flui lentamente, tudo é pacifico e sereno, tudo sonha, tudo passa devagar de mais e adormecemos no vazio. Entrar neste jogo de opostos, pode ser realmente perigoso se não tivermos força para lidar com isto. No entanto, perigoso ou não, dá-nos a conhecer novas formas e texturas, as mesmas que a maioria da sociedade não conhece, o que faz de nós mais diferentes, mais livres, mais iluminados... porquê? Bem, se olharmos para o mundo sempre da mesma forma, num equilíbrio primário, nunca vamos entender outras formas de agir ou pensar, o que por si só não nos deixa evoluir a nível pessoal, seria o mesmo que viver dentro de uma bolha, sem riscos, medos e aventuras.