Visualizações

segunda-feira, 6 de junho de 2016

" Desculpa ser assim..."

Desculpa ser assim, desta forma doida e imprevisível, desculpa fazer-te perder as palavras só com as parvoíces que digo.
Não ligues se sou demasiado sincero, demasiado aluado ou demasiado sorridente por vezes, não ligues se os olhos brilham, se os beijos rolam e se a areia cola... não ligues porque não és convencida e eu estou convicto que é tudo por tua causa.
Desculpa dar-te espaço, dar-me espaço... é só que tudo tem o seu tempo e tudo o que é demais cansa, tudo tem o seu ritmo e o instantâneo não tem piada.
Pensa, pensa porque me queres e se me queres realmente no fundo, mas pensa com calma, as ondas vêem e vão, o melhor é respirar fundo antes do mergulho... é sempre um choque térmico esta história do amor!