Visualizações

sexta-feira, 22 de julho de 2016

"Fazes-me sentir eu..."

Não me convenço de que afinal amor repentino existe, que não é tão difícil assim. Não posso crer que o destino seja algo palpável...
Tenho medo, claro que sim, numa chuva de desilusões apareces tu, e tu és diferente, tornaste-me crente  do amar outra vez.
Um beijo abriu janelas, as janelas novas perspectivas e tu que só agora és minha, tens o calor de um sol que parece nunca ter faltado.
Desculpa ainda ser pessimista, não é tão fácil assim crer na sorte que nos calha. Desculpa se já era um capítulo fechado este do amor verdadeiro, às vezes é preciso reescrever um livro para conseguir mais da história.
E não, não te quero de outro jeito que não o teu, foram os enganos que me levaram a ti, que sejam as verdades a deixar-me ficar. Fazes-me sentir eu... o que muitas vezes me falta.